Gestores municipais brasileiros colocam em prática conceitos das cidades inteligentes

Governantes que participaram dos eventos da FIRA Barcelona, como o Smart City Expo Curitiba, relatam suas experiências. Governança, gestão econômica e inovação estão entre as práticas adotadas

Smart City Expo Curitiba 2018

Smart City Expo Curitiba 2018

No início de 2018, cerca de 40 prefeitos e secretários de municípios de todo o país marcaram presença na primeira edição do Smart City Expo Curitiba, edição brasileira do maior evento do mundo sobre cidades inteligentes. Mobilizados pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), os gestores conheceram soluções inovadoras e tecnológicas para melhorar a qualidade de vida das pessoas em suas cidades. Em novembro, uma caravana de prefeitos e secretários esteve no Smart City Expo & World Congress, o fórum mundial sobre o tema, realizado anualmente em Barcelona, acumulando experiências de boas práticas e projetos de gestão e inovação para replicarem em seus municípios. 

Parceira do Smart City, a FNP vai trazer gestores e representantes de municípios de todo o país, além de enviados de 25 cidades do exterior, para a segunda edição Smart City Expo Curitiba, que será realizado nos dias 21 e 22 de março, no Expo Barigui.  

O assunto entrou de vez na agenda dos gestores municipais. “Os debates sobre cidades inteligentes contribuem para gestões mais eficientes. É nesse tipo de encontro que comprovamos o quanto é importante inovar nas ações para garantir o atendimento e a qualificação dos gastos e dos serviços públicos”, afirma o presidente da FNP, Jonas Donizete, prefeito de Campinas (SP), um entusiasta do tema, que tem liderado a mobilização de cidades com mais de 180 mil habitantes. 

O especialista Roberto Marcelino, diretor de novos negócios do iCities, empresa responsável pelo Smart City Expo Curitiba, ressalta que o processo de entendimento e aplicação das soluções inteligentes é gradual e também impacta na própria administração da cidade. “Um aspecto importante é a boa gestão, um caminho sem volta na administração pública: governança, compliance e ética nos contratos são quesitos que, além de serem exigidos pelos cidadãos, podem ser colocados em prática com mais facilidade por meio da tecnologia e da inovação”, destaca. 

Cidades lançam projetos para melhorar a vida dos cidadãos 

Algumas cidades do Brasil já vêm implantando mudanças na gestão que objetivam melhorar a vida das pessoas nas cidades. Há iniciativas que promovem essa qualidade ao economizar recursos e organizar processos.  

Curitiba foi considerada a cidade mais inteligente do país em 2018 por conta de diversos programas de inovação que buscam estimular a inovação e o empreendedorismo na cidade, além de oferecer serviços públicos mais eficientes. O prefeito da cidade, Rafael Greca, ressalta que a capital paranaense já colhe frutos dessa visão.   

"Temos o pioneirismo e a inovação em nosso DNA e, com o apoio internacional, podemos avançar ainda mais. Retomamos o Curitiba Tecnoparque, programa de incentivo fiscal a empresas de base tecnológica, e a cidade vem desenvolvendo ações que buscam melhorar o dia a dia da população, como o aplicativo Saúde Já, que permite ao usuário do posto de saúde agendar, pelo celular, o atendimento médico", destaca. Ele ainda cita os Faróis do Saber e Inovação, espaços públicos makers, em que estudantes da rede pública podem construir protótipos com impressora 3D. 

Outro bom exemplo é um dos projetos finalistas da premiação do Smart City Expo & World Congress, em Barcelona. Ele vem da Prefeitura de Aracaju (SE) e é o Projeto de Gestão Documental, que está digitalizando 50% de todo o acervo municipal até 2020. “O processo de triagem, organização e digitalização deve expurgar cerca de 12 milhões de documentos e preservar 28 milhões, gerando uma economia de R$ 540 mil por ano e evitando riscos de incêndio e extravio”, explica o prefeito Edvaldo Nogueira Filho.

Além disso, a capital sergipana está colocando em prática outros projetos debatidos pelas smart cities, como a instalação de semáforos inteligentes, o prontuário eletrônico nas unidades de saúde e a matrícula online na Secretaria de Educação. 

O prefeito de São José dos Campos (SP), Felício Ramuth, alerta que todos esses projetos e soluções só podem ser parte integrante de uma cidade verdadeiramente inteligente se contarem com a participação popular. “Os cidadãos devem fazer parte desse processo não só com a difusão do uso de tecnologias, mas também compartilhando informações e sendo devidamente capacitados”, pontua Felício Ramuth, prefeito de São José dos Campos (SP).  

Sobre a FNP 

A FNP representa os interesses dos municípios e promove a participação dos representantes locais em questões urbanas e na interlocução democrática com os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, em nível estadual e federal. Com 30 anos de existência, a entidade atua em cerca de 400 municípios brasileiros com mais de 80 mil habitantes, o que abrange 60% do total de habitantes do país e 75% do PIB.

 Sobre o iCities

 O iCities foi fundado em 2011 com a visão de um cenário em que as cidades têm um papel muito mais proativo no desenvolvimento da sociedade. Dentre os projetos de maior relevância estão a responsabilidade da vinda e organização do maior congresso do tema de smart cities de Barcelona para Curitiba - o Smart City Expo Curitiba -, o projeto de responsabilidade social iCities Kids, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, o Observatório Brasileiro de Cidades Inteligentes em São Francisco, na Califórnia (EUA), e as consultorias para municípios Smart Cities Brasil.

Guto Kraft